A origem do Dia Internacional da Mulher



Para muitos, o 8 de Março é apenas um dia para dar flores e fazer homenagens às mulheres. Mas diferentemente de diversas outras datas comemorativas, esta não foi criada pelo comércio.

Oficializado pela Organização das Nações Unidas em 1975, o chamado Dia Internacional da Mulher era celebrado muito tempo antes, desde o início do século 20. E se hoje a data é lembrada como um pedido de igualdade de gênero e com protestos ao redor do mundo, no passado nasceu principalmente de uma raiz trabalhista.

Foram as mulheres das fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa que começaram uma campanha dentro do movimento socialista para reivindicar seus direitos – as condições de trabalho delas eram ainda piores do que as dos homens à época.

A origem da data escolhida para celebrar as mulheres tem algumas explicações históricas. No Brasil, é muito comum relacioná-la ao incêndio ocorrido em 25 de março de 1911 na Companhia de Blusas Triangle, quando 146 trabalhadores morreram, sendo 125 mulheres e 21 homens (a maioria judeus).

No entanto, há registros anteriores a essa data que trazem referências à reivindicação de mulheres para que houvesse um momento dedicado às suas causas dentro do movimento de trabalhadores.

As origens

Se fosse possível fazer uma linha do tempo dos primeiros “dias das mulheres” que surgiram no mundo, ela começaria possivelmente com a grande passeata das mulheres em 26 de fevereiro de 1909, em Nova York.

Naquele dia, cerca de 15 mil mulheres marcharam nas ruas da cidade por melhores condições de trabalho – na época, as jornadas para elas poderiam chegar a 16h por dia, seis dias por semana e, não raro, incluíam também os domingos. Ali teria sido celebrado pela primeira vez o “Dia Nacional da Mulher”.

Enquanto isso, na Europa também crescia o movimento nas fábricas. Em agosto de 1910, a alemã Clara Zetkin propôs em reunião da Segunda Conferência Internacional das Mulheres Socialistas a criação de uma jornada de manifestações.

“Não era uma questão de data específica. Ela fez declarações na Internacional Socialista com uma proposta para que houvesse um momento do movimento sindical e socialista dedicado à questão das mulheres”, explicou à BBC Brasil a socióloga Eva Blay, uma das pioneiras nos estudos sobre os direitos das mulheres no país.

“A situação da mulher era muito diferente e pior do que a dos homens nas questões trabalhistas daquela época”, disse ela, que é coordenadora da USP Mulheres.

A proposta de Zetkin, segundo os registros que se têm hoje, propunha uma jornada anual de manifestações das mulheres pela igualdade de direitos, sem exatamente determinar uma data. O primeiro dia oficial da mulher seria celebrado, então, em 19 de março de 1911.

Em 1917, houve um marco ainda mais forte daquele que viria a ser o 8 de Março. Naquele dia, um grupo de operárias saiu às ruas para se manifestar contra a fome e a Primeira Guerra Mundial, movimento que seria o pontapé inicial da Revolução Russa.

O protesto aconteceu em 23 de fevereiro pelo antigo calendário russo – 8 de março no calendário gregoriano, que os soviéticos adotariam em 1918 e é utilizado pela maioria dos países do mundo hoje.

Após a revolução bolchevique, a data foi oficializada entre os soviéticos como celebração da “mulher heroica e trabalhadora”.

Oficialização

O chamado “Dia Internacional da Mulher” só foi oficializado em 1975, ano que a ONU intitulou de “Ano Internacional da Mulher” para lembrar suas conquistas políticas e sociais.

“Esse dia tem uma importância histórica porque levantou um problema que não foi resolvido até hoje. A desigualdade de gênero permanece até hoje. As condições de trabalho ainda são piores para as mulheres”, pontuou Eva Blay.

“Já faz mais de cem anos que isso foi levantado e é bom a gente continuar reclamando, porque os problemas persistem. Historicamente, isso é fundamental.”

No mundo inteiro, a data ainda é comemorada, mas ao longo do tempo ganhou um aspecto “comercial” em muitos lugares.

O dia 8 de março é considerado feriado nacional em vários países, como a própria Rússia, onde as vendas nas floriculturas se multiplicam nos dias que antecedem a data, já que homens costumam presentear as mulheres com flores na ocasião.

Na China, as mulheres chegam a ter metade do dia de folga no 8 de Março, conforme é recomentado pelo governo – mas nem todas as empresas seguem essa prática.

Já nos Estados Unidos, o mês de março é um mês histórico de marchas das mulheres.

No Brasil, a data também é “comemorada” com protestos em todas as principais cidades do país, com reivindicações sobre igualdade salarial e protestos contra a criminalização do aborto e a violência contra a mulher.

“Certamente o 8 de Março é um dia de luta, dia para lembrarmos que ainda há muitos problemas a serem resolvidos, como os da violência contra a mulher, do feminicídio, do aborto, e da própria diferença salarial”, observou Blay.

Segundo ela, mesmo passadas décadas de protestos das mulheres e de celebração do 8 de Março, a evolução ainda foi muito pequena.

“Acho que o que evoluiu é que hoje a gente consegue falar sobre os problemas. Antes, se escondia isso. Tudo ficava entre quatro paredes. Antes, esses problemas eram mais aceitos, hoje não.”

Fonte: BBC

Conheça mais sobre a festa mais popular do Brasil

Todos os anos o Brasil chama atenção mundial com a festa de carnaval. Bastante cores e alegria, muito brilho e fantasia, são características da maior festa do país. Mas você conhece as origens e curiosidades desse evento nacional?

É uma festa que surgiu na Grécia, cerca de 600 a.c (faz tempo hein!). As comemorações eram dedicadas aos deuses antigos como agradecimento pelas safras e prosperidade do povo.

Somente e 590 d.c  a “data” passou a figurar no calendário cristão. Conforme os ensinamentos, os fiéis deveriam fazer 40 dias de jejum antes do início da celebração – período conhecido como Quaresma. A quarta-feira de cinzas seria, então, o primeiro dia da penitência. Os dias que antecedem a data, portanto, eram os últimos em que se poderia comer carne – por isso, o nome Carnaval.

No Brasil, além da folia, os festejos carnavalescos também são tema de luta social, política e marca a tradição do povo.

1 -Nem mesmo a folia escapou da ditadura

Nem mesmo a folia escapou da ditadura no Brasil. Documento do Ministério da Aeronáutica, datado de fevereiro de 1981, revela frase contida em arquivos confidenciais: “Este espaço novo de atuação esquerdista enseja um trabalho inconsciente dos figurantes da escola de samba a favor de uma posição política alheia aos seus estados de consciência — instrumentalizando-os”.

2 – Tradição cultural

Na década de 1960, o Carnaval já era considerado a maior festa popular brasileira. Duas décadas depois, o Sambódromo do Rio foi criado e até hoje se mantém como atração turística internacional, reunindo milhares de foliões todos os anos.

3 – RECIFE
Em 1995, oGuinness Bookdeclarou o Galo da Madrugada, da cidade do Recife, como o maior bloco de carnaval do mundo.

4 – Rio de Janeiro
O carnaval do Rio de Janeiroestá no Guinness Bookcomo o maior carnaval do mundo.

5 – MÚSICA
Em 1890, Chiquinha Gonzaga compôs a primeira música especificamente para o Carnaval, “Ô Abre Alas!”. A música havia sido composta para o cordão Rosas de Ouro que desfilava pelas ruas do Rio de Janeiro durante o carnaval.

6-  Terra da Garoa

A cada ano o Carnaval de Rua de São Paulo vem crescendo muito. Para se ter uma ideia, nem 2018 desfilaram pelas ruas da cidade em torno de 500 blocos, e para esse ano de 2019 o número aumentou e são esperados mais 600 blocos de rua que farão mais de 700 desfiles.

A festa é bem organizada e a Prefeitura da cidade disponibiliza estrutura nas ruas como: banheiros químicos, segurança, ambulâncias, entre outros. A festa irá acontecer durante três finais de semana entre os dias 23 de fevereiro e 10 de março, onde são esperadas em torno de 5 milhões de pessoas. Muita gente bonita, folia e diversão para curtir o Carnaval de São Paulo 2019. Pegue sua fantasia e não fique de fora dessa festa animada.

23 Curiosidades da Austrália que você precisa conhecer

Quando se pensa em viajar a passeio ou para estudar inglês, a Austrália é um dos países mais procurados. Com um clima agradável e lindas paisagens a Austrália chama atenção de muitos turistas e estudantes do mundo todo.

E se você também se simpatiza com esse país ou sonha em visitá-lo vale a pena conhecer algumas curiosidades da Austrália. Então dá uma conferida na lista e aumente ainda mais o seu conhecimento.

1.   A Austrália é um País do hemisfério sul e fica localizado na Oceania.

2. Melbourne foi considerada a melhor cidade do mundo para se viver por 3 vezes desde 2010.

3. O idioma oficial da Austrália é o inglês, mas são falados cerca 200 dialetos e línguas diferentes. Sendo 45 de origem indígena.

4. Antes da colonização europeia iniciada no final do século XVIII a Austrália era habitada por cerca de 250 nações individuais de aborígenes.

5. Era ilegal na Austrália, até 1902, dar um mergulho no mar durante o dia.

6. Ao contrário do que todos imaginam a capital da Austrália não é Sydney nem Melbourne. Devido a briga entre as duas cidades para serem a capital, o governo resolveu escolher Camberra.

7. Cerca de 85% da população da Austrália vive a menos de 50 km do litoral. É o pais com a população mais costeira do mundo!

8. Rica curiosidade da Austrália: Melbourne era a cidade mais rica do mundo em 1880.

 9. O segundo país do mundo a dar direito de voto às mulheres foi a Austrália, no ano de 1902.

10. Sabe qual é a maior estrutura viva do mundo? A Grande Barreira de Corais.

11. Que a Austrália é a terra do canguru todo mundo sabe, mas o curioso é que lá a carne do canguru também é consumida.

12. Lá existem mais de 60 espécies diferentes de cangurus.

13. Cerca de 25% da população australiana nasceu em outro país.

14. A qualidade de vida na Austrália é uma das melhores do mundo.

15. Na Austrália existe um lago cor de rosa chamado de Lago Hillier.

16. 91% do território da Austrália é coberto por algum tipo de vegetação.

17. Algumas personalidades famosas são australianas, entre elas Hugh Jackman, Mel Gibson, Nicole Kidman, Cate Blanchet e Heath Ledger.

18. Na Austrália, os motoristas utilizam a mão inglesa, dirigem pelo lado esquerdo

19. Atrás do Brasil a Austrália é o 6º maior país do mundo.

20. A Austrália tem o terceiro maior território oceânico do mundo.

21. Rica em fauna e flora exótica, a maioria delas não pode ser encontrada em nenhum outro lugar do mundo.

22. No estado de Victoria é proibido usar calça rosa, nos domingos após o meio dia.

23. E para fechar, uma das mais bizarras curiosidades australianas: O ex-primeiro-ministro do país, Bob Hawke, bateu um recorde mundial quando tomou 2 litros e meio de cerveja em apenas 11 segundos!

Fontes: Mistérios do Mundo, Inglês Treinando